.

T R I S T E Z A

Daniel Ortega, Fountain in Lisbon

*

.

Desceu sobre mim esta tristeza

Que tão bem sei,

Mas não ouso,

Explicar.

Desceu sobre mim, tal como a chuva,

Que acinzenta as ruas e as desfaz,

Em rajadas de lama e desânimo

Que passantes automóveis disparam

Sobre apáticos transeuntes.

Desceu, como desce o meu olhar,

Sobre as calçadas sujas e molhadas,

Os prédios feios e sem cor,

Desfigurados fantasmas

De outros tempos.

Desceu, como descem as lágrimas,

No interior de mim,

Por caminhos tortuosos, ínvios,

Longos, profundos,

Que desaguam no coração.

Que bem saberia eu explicar esta tristeza

Se o quisesse, se o desejasse,

Até desenhava um mapa,

À escala, com legendas coloridas

E precisas.

Mas explicar não vale de nada,

Não impede esta tristeza

De descer sobre mim,

E sobre o Mundo…

.

Ilona Bastos

 Lisboa, Março de 2005

.

Poema: Ilona Bastos 

http://geocities.yahoo.com.br/ibbaptista/

Fotografia: Daniel Ortega, Fountain in Lisbon

http://www.trekearth.com/gallery/Europe/Portugal/photo16159.htm

Som de Fundo: Chopin, 12 Estudes, Opus 25, nº 1

Animação: http://www.ilona,com.br/

© 2005 - Todos os direitos reservados

.